log in
 

Crítica do filme Depois Daquela Montanha

Tragédia com componentes humanos

Lu Belin

por
Lu Belin

Quinta, 23 Novembro 2017
Fonte da imagem: Divulgação/20th Century Fox
aeo728x90 ecde0
Mudar tema Padrão Noturno
Barra lateral X Desativar
Mudar fonte A+ A A-

Quando seu voo é cancelado por conta de uma tempestade que se aproxima, Alex (Kate Winslet) e Ben (Idris Elba), dois estranhos que se cruzam no aeroporto de Idaho, decidem alugar um avião particular pois precisam chegar o mais rápido possível de volta a Nova Iorque, cada um com seus motivos.

Se os voos comerciais estão cancelados, o motivo não é pouco, e a tempestade é mais assustadora e se move mais rápido do que eles imaginam. Alex e Ben sofrem então um acidente e se encontram no meio do total e completo nada, com quase nada de comida, feridos e sem perspectiva alguma de serem resgatados - uma vez que nenhum dos dois avisou ninguém de que estaria neste voo.

depoisdaquelamontanha3 e1812

Dirigido por Hany Abu-Assad (Paradise Now), e com roteiro assinado por J. Mills Goodloe (A Incrível História de Adaline, O Melhor de Mim), a partir do livro de Charles Martin, “Depois Daquela Montanha” é um clássico filme de tragédia com uma pegada bastante humana - e inclusiva, já que seus protagonistas são interraciais.

Show de talentos

Com um grupo de produção e execução extremamente qualificado, com nomes premiados e indicados ao Oscar, “Depois Daquela Montanha” é uma verdadeira reunião de gente talentosa.

depoisdaquelamontanha2 8d351

O elenco reduzido permitiu à produtora investir em nomes pesados para os papéis principais e assim temos Idris Elba, um dos grandes do momento, contracenando diretamente com uma das atrizes mais talentosas desde sempre, Kate Winslet.

Apesar do brilhantismo dos envolvidos, “Depois Daquela Montanha” é apenas mais um bom filme com nada de excepcional para apresentar ao público.

Gelado, porém morno

Um casal de lindos perdidos no meio do total e completo nada, no topo de uma cadeia de montanhas com uma camada de sei lá quantos metros de neve entre eles e o chão, com nada além das roupas do corpo e um ou outro recurso restante do avião. É de se esperar que os sobreviventes vão ter que dar uma de McGyver pra continuarem com vida.

No entanto, o que eu sempre peço a Deus é que, se algum dia eu for ter que sobreviver em uma situação de tragédia ou desastre com quase nada em mãos, que seja como aconteceu com a personagem da Kate Winslet nesse filme: que as pessoas que se acidentaram comigo sejam altamente capacitadas. Um cirurgião, por exemplo.

depoisdaquelamontanha1 56225

Apesar de não ter algumas das conveniências irritantes de muitos filmes sobre sobrevivência em condições extremas, ainda restam algumas para contar a história. Mas tudo bem, afinal de contas, se fossem pessoas normais, morreriam na primeira cena.

Os esforços para tornar a história o mais verossímil possível, no entanto, acabam tornando a coisa toda um pouco morna demais.Vejam, não estou falando que seja um filme chato nem cansativo, muito pelo contrário. No entanto, ele é bastante previsível e comedido, com um ritmo equilibrado de calmaria e tensão, mas bem pouco surpreendente.

Fonte das imagens: Divulgação/20th Century Fox

Depois Daquela Montanha

E se sua vida dependesse de um estranho?

Diretor: Hany Abu-Assad

Duração: 112 min

Estreia: 26 / Out / 2017

Curtiu esse texto? Então deixe seu comentário e aproveita para compartilhar nas redes sociais!

Lu Belin

Eu queria ser a Julianne Moore.

Comentários

Este é um espaço para discussão. Você pode concordar, discordar ou agregar informações ao conteúdo, mas lembramos que aqui devem prevalecer o respeito e bom senso. O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Nos reservamos o direito de apagar comentários que não estejam em conformidade com nossos Termos de Uso.