log in
 

Crítica do filme Vingadores: Guerra Infinita

Equilíbrio é tudo

Thiago Moura

por
Thiago Moura

Sábado, 28 Abril 2018
Fonte da imagem: Divulgação/Walt Disney Pictures
dp2728x90 2 f3db7
Mudar tema Padrão Noturno
Barra lateral X Desativar
Mudar fonte A+ A A-

Como ordenado por Thanos, essa crítica não contém spoilers, mas se ainda não assistiu pare de perder tempo e assista o filme o quanto antes. #ThanosDemandsYourSilence.

Tudo começou em 2008 com o primeiro filme do "Homem de Ferro", uma década de histórias interligadas culminaram no 19º filme dos estúdios Marvel, o terceiro filme dos maiores heróis, “Vingadores: Guerra Infinita”.

Desnecessário dizer que sem os filmes anteriores, "Guerra Infinita" não fará sentido algum. Graças a uma estratégia de marketing a longo prazo, o filme já é esperado desde 2012, com a primeira aparição do Titã Louco Thanos e sua iminente ameaça aos Vingadores. Durante os filmes seguintes, a trama a respeito das Jóias do Infinito foi ficando clara, e como Thanos se tornaria ainda mais poderoso quando reunisse todas as seis, chegando ao ponto de ameaçar o universo todo.

A direção é dos irmãos Russo, responsáveis também por “Capitão América: Guerra Civil”, que sabem como respeitar cada particularidade dos personagens dos outros filmes. O clima vibrante e descontraído de “Guardiões da Galáxia” e”Thor: Ragnarok” estão presentes, assim como a grandeza representada em “Pantera Negra”, é visível que todos estão muito confortáveis em seus papéis sem parecerem homogêneos ou sem suas características únicas.

infinitywar 2 47dff

Infelizmente pelo tempo limitado e a quantidade absurda de personagens, alguns acabaram sendo utilizados apenas nas cenas de ação, mas isso só seria um problema se todos eles fossem desconhecidos do público. Todos tem pelo menos uma participação relevante, mas a gente sempre quer mais dos personagens que aprendemos a amar tanto.

Os roteiristas Christopher Markus e Stephen McFeely conseguiram realizar a proeza de manter tanta gente superpoderosa ocupada durante todo o filme, numa dinâmica que lembra bastante a mídia que originou essa trama toda.

Quem gosta apenas dos filmes e não liga muito para os quadrinhos, vai assistir uma obra cinematográfica muito bem executada e que provou estar à altura de todas as expectativas. Mas para os fãs das hqs, as referências, o cuidado e carinho expressado pelos personagens é quase palpável. Por toda a dedicação investida no universo Marvel, a recompensa é essa película.

infinitywar 5 76a5d

Os filmes Marvel são conhecidos pelo tom descontraído, cheios de graça até mesmo em momentos inadequados. Mas os trailers mostraram um tom mais sério, cenas sombrias e diversas dúvidas sobre como essa história iria se desenrolar com esse tom sombrio. O humor está presente sim, e muito bem aproveitado durante a interação dos personagens que acabaram de se conhecer.

Thor e os Guardiões da Galáxia possuem a química perfeita, enquanto Tony Stark e Doutor Estranho são tão parecidos que o conflito é inevitável, e tudo isso é muito interessante e divertido mas quem rouba a cena é Thanos (Josh Brolin). O clima mais sério e ameaçador dos trailers é emanado do Titã Louco. Thanos pode ser considerado o personagem principal, não mais sentado em um trono no espaço enviando seus súditos para cumprir sua missão, mas botando a manopla e partindo com toda sua fúria em busca do objetivo de reunir as Jóias.

infinitywar 3 dae14

Um dos pontos mais criticados dos filmes Marvel é o quanto os seus vilões são mal aproveitados, com um desenvolvimento muitas vezes superficial. Do meu ponto de vista, Killmonger em “Pantera Negra” já quebrou essa “falha”, e Thanos segue logo atrás. É interessante notar que de seu ponto de vista, ele é um herói. Uma de suas falas é a seguinte:

“Você pode pensar que isso é sofrimento, não é. É salvação”   

Seu objetivo é nada menos que exterminar metade do universo para que a outra metade possa prosperar. Essa missão é explicada calmamente por ele em diversas situações, e ele está tão convencido de que isso é o certo que em certo ponto você vai quase torcer para que ele consiga. Mas é claro que isso é loucura, e por essa razão todos os heróis precisam se reunir para impedi-lo. E tem tanta coisa em jogo que fica quase inacreditável as consequências dos atos realizados em Guerra Infinita.

Thanos não é mal “por que sim”, ele sofre, chora, pesa suas escolhas mas não deixa nada atrapalhar seus objetivo final. Essas nuances são muito bem representadas, em grande parte pelo excelente trabalho de Josh Brolin, mas também pelos efeitos visuais incríveis.

infinitywar 4 90212

Eu gostaria de dizer que o filme é perfeito, mas para ser justo alguns efeitos visuais pareceram bastante deslocados, até mesmo destoando do resto do filme. Nada comparável a um bigode removido digitalmente, é claro. Já que nos momentos dramáticos e cenas realmente relevantes, eles estão perfeitos. São detalhes que passam tranquilamente dentro da obra completa.

O compositor Alan Silvestri é o responsável pela trilha sonora. Ele havia trabalhado anteriormente no primeiro "Vingadores", sendo o criador da icônica trilha de abertura que é facilmente reconhecível por qualquer um. Seu trabalho não foi simples, pois orquestrar tantas trilhas diferentes, sem falar de momentos que vão do riso ao choro em pouquíssimo tempo, não é uma tarefa fácil. De qualquer forma, grande parte da tensão fica por conta de seus efeitos sonoros, então vale a pena destacar esse excelente trabalho.

Sem dúvida um divisor de águas

Após essa montanha russa de emoções, o sentimento que prevalece é ansiedade pelo próximo filme. Mesmo com suas duas horas e meia não há tempo de contar os minutos, apenas degustar cada momento absurdamente angustiante e saciável ao mesmo tempo, torcendo para que tudo acabe bem e que os próximos filmes sejam feitos com o mesmo cuidado e carinho. Se ainda não viu, largue tudo e corra assistir, se possível em Imax, já que o filme foi todo feito para esse formato.

Eu gostaria de discorrer mais sobre o filme, mas nada que for dito vai se comparar a assistir. Quanto menos informação você tiver sobre a trama, mais será aproveitado. E como já é tradição, há uma cena pós crédito que serve apenas para aumentar ainda mais a vontade de assistir os próximos capítulos dessa trama.

Fonte das imagens: Divulgação/Walt Disney Pictures

Vingadores: Guerra Infinita

Ao infinito... E além!

Diretor: Joe Russo, Anthony Russo

Duração: 149 min

Estreia: 26 / Abr / 2018

Curtiu esse texto? Então deixe seu comentário e aproveita para compartilhar nas redes sociais!

Thiago Moura

Curto as parada massa.

Comentários

Este é um espaço para discussão. Você pode concordar, discordar ou agregar informações ao conteúdo, mas lembramos que aqui devem prevalecer o respeito e bom senso. O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Nos reservamos o direito de apagar comentários que não estejam em conformidade com nossos Termos de Uso.