log in
aa728x90 40e87

Cine-PE | Festival Audiovisual chega à sua 22ª edição

O Festival Audiovisual Cine PE chega à sua 22ª edição. Mantendo posição de destaque no cenário audiovisual brasileiro e internaciona, o Cine PE promete trazer uma seleção plural e diversificada. Previsto para acontecer entre os dias 29 de maio a 4 de junho, o festival recebeu mais de 500 inscrições de curtas e longas-metragens.

cinepe2018

Do número total de inscritos, 419 produções são de curtas-metragens, sendo 111 documentários, 287 obras de ficção e 21 de animação. A maioria das produções vem do Sudeste (285), sendo que os números da edição de 2018 incluem 135 filmes de São Paulo, 120 do Rio de Janeiro, 39 de Pernambuco e 35 de Goiás. Dentre os mais de 500 inscritos serão selecionados 8 curtas para a Mostra de Curta Metragem Pernambuco, 16 para a Mostra de Curta Metragem Nacional e 6 longas para a Mostra de Longa Metragem.

O festival ocorrerá no Cinema São Luiz, no Centro do Recife, e além das mostras competitivas também contará com lançamentos, exibição de filmes hors concours, debates, workshops e homenagens. Confira os destaques da programação:

ABERTURA

  • Mulheres Alteradas (Luis Pinheiro)

COMPETIÇÃO - LONGAS

  • Os Príncipes (Luiz Rosemberg Filho)
  • Henfil (Angela Zoé)
  • Meu Tio e o Joelho de Porco (Rafael Terpins)
  • Marcha Cega (Gabriel Di Giacomo)
  • Christabel (Alex Levy-Heller)
  • Dias Vazios (Robney Bruno Almeida)

COMPETIÇÃO - CURTAS

  • Banco Brecht, de Tiago Aguiar e Marcio Souza)
  • Não Falo com Estranhos, de Klaus Hastenreiter)
  • Sob o Delírio de Agosto, de Carlos Kamara e Karla Ferreira)
  • Lençol de Inverno (Bruno Rubim)
  • Teodora Quer Dançar (Samantha Col Debella)
  • Sweet Heart (Amina Jorge)
  • Abismo (Ivan de Angelis)
  • Balanceia (Juraci Júnior e Thiago Oliveira)
  • Plantae (Guilherme Gehr)
  • Insone (Breno Guerreiro e Débora Pinto)
  • Através de Ti (Diego Tafarel)
  • Peripatético (Jessica Queiroz)
  • Marias (Yasmim Dias)
  • Universo Preto Paralelo (Rubens Passaro)
  • Cine S. José (Adalberto Oliveira)
  • Vidas Cinzas (Leonardo Martinelli)

COMPETIÇÃO - CURTAS PERNAMBUCANOS

  • Cara de Rato (Benedito Serafim)
  • Seja Feliz (Diego Melo)
  • Edney (João Roberto Cintra)
  • Deep Dive (Pedro Arruda)
  • O Consertador de Coisas Miúdas (Marcos Buccini)
  • Uma Balada para Rocky Lane (Djalma Galindo)
  • Dia-Um (Natália Lima)
  • Frequências (Adalberto Oliveira)

 

Curta-metragem A Rua Muda aborda a cotidianidade da violência

"Eu nunca tinha ouvido um tiro antes. Eu não sabia do silêncio que vinha depois do estouro, como se meu próprio tímpano tivesse explodido. Ou talvez fosse o corpo caído no chão que não saía da minha cabeça". Confira o trailer do curta-metragem do curitibano Eduardo Colgan.

Veja Pearl, o curta-metragem do Google em 360 graus que concorre ao Oscar

Uma garota e seu pai atravessam o país, perseguindo seus sonhos, tendo como ferramenta apenas um carro - que também é a sua casa. A história é bem simples e não há falas, salvo um ou outro burburinho. Mas a mensagem do curta-metragem "Pearl" é muito bonita: pequenos gestos e sorrisos são poderosos e podem carregar muito amor.

Você deve estar se perguntando: "ok, mas o que é que esse curta tem de mais para estar concorrendo ao Oscar de Melhor Curta em Animação?". Veja bem, embora os gráficos sejam bastante básicos, essa belezinha é patrocinada pelo Google e usa uma tecnologia de visualização 360º.

Isso mesmo! Enquanto a vida passa para os personagens que entram e saem do carro, é possível girar a tela usando o cursor e ver o que se passa dentro e fora do veículo por todos os lados. Por isso, é bem mais divertido assistir pelo celular ou no computador - em algumas tvs, não é possível aproveitar esse recurso.

Quer conferir esse candidato ao Oscar? Confira a íntegra de "Pearl"!

O curta-metragem é dirigido por Patrick Osborne e tem como designer de produção Tuna Bora. A música e trilha sonora da produção é assinada pelo Pollen Music Group.

Curta "Os Sapatos de Aristeu" levanta debate sobre travestilidade

O corpo de uma travesti morta é preparado por outras travestis para o velório. A família, após receber o corpo, decide enterrá-lo como homem, negando à falecida a identidade que buscou durante toda uma vida. Uma procissão de travestis então se encaminha para o velório para dizer adeus. Os sapatos são calçados. A morte é apenas uma janela.

Esse é o plot do curta-metragem "Os Sapatos de Aristeu", uma produção da Preta Portê Filmes com roteiro e direção de René Guerra. Com uma verdadeira coletânea de premiações, que incluem festivais em Portugal, Espanha, França e Chile, entre outros, o curta desperta o debate sobre a falta de respeito à identidade de gênero e pertencimento das travestis. 

De acordo com o diretor e roteirista, o objetivo do curta é justamente esse: lançar luz a assuntos que, por desconhecimento, se desdobram em medo e preconceito. "Não falar sobre esse universo é manter todos os clichês e todas as sombras sobre ele muito bem guardadas, como aquele ódio muito bem cultivado, ou aquele medo do desconhecido".

"Então eu fiz esse filme. Construí através delas uma poesia sobre amor, reparação e perdão"

Falar sobre as travestis, segundo René, foi uma forma de desconstruir-se e contribuir com a desconstrução do público. "Hoje as travestis não são mais o meu outro, que eu me aproximei, me quebrei, me reparti e me refiz, nem todo mundo consegue fazer isso comigo, me melhorar, me refazer. Elas fizeram isso comigo porque são as minhas heroínas, defendendo que todos somos uma construção."

O curta está disponível na íntegra lá no comecinho da notícia. E veja abaixo também a ficha técnica completa.

Ficha técnica:

Elenco: Berta Zemel, Denise Weinberg, Renato Turnes, Gretta Starr e Phedra D. Córdoba
Direção e Roteiro: René Guerra
Assistente de Direção: Juliana Vicente
Produção: Daniel Tonacci e Renata Cavalcanti
Direção de Fotografia: Juliana Vasconcelos
Direção de Arte: Maíra Mesquita
Montagem: Vinicius Calderoni
Edição de Som: Vitor Motter
Mixagem: Pedro Sérgio Noizyman

Curta "Quem Matou Eloá?" discute espetacularização da violência contra a mulher

Em 2009, Lindemberg Alves, de 22 anos, invadiu o apartamento da ex-namorada Eloá Pimentel, de 15 anos, armado, mantendo-a refém por cinco dias. Grande parte desse processo foi acompanhado por emissoras de televisão, rádio e jornais de todo o país, que transformaram os piores dias da vida da jovem em um verdadeiro espetáculo midiático.

É justamente esta espetacularização do sequestro e feminicídio da jovem Eloá o tema do curta-metragem “Quem matou Eloá?”, um documentário que faz uma análise crítica da abordagem midiática nos casos de violência contra a mulher, revelando um dos motivos pelos quais o Brasil é o quinto num ranking de países que mais matam mulheres.

Com direção e roteiro de Lívia Perez, “Quem matou Eloá” traz entrevistas de Ana Paula Lewin, Analba Teixeira, Augusto Rossini, Elisa Gargiulo e Esther Hamburguer, que discutem o papel da imprensa em casos como o de Eloá Pimentel.

Lançado em 2015, o curta já recebeu os prêmios de Melhor Curta Paulista no Semana Paulistana do Curta Metragem em 2015, Melhor Curta-Metragem no Atlantidoc - Festival Internacional de Cinema Documentário do Uruguai em 2015 e Melhor Documentário em Curta-metragem no Genni Awards - Alliance for Women in Media Southern California em 2015

Veja o trailer do curta-metragem “Quem matou Eloá?”, que está disponível na íntegra no Portal Curtas! e também pode ser visto no "Canal Curta!".

MC Soffia, Karol Conka e Negra Li no curta "As Minas do Rap"

Quem viu Karol Conka e Mc Soffia na abertura dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, no início de agosto, não sabe o que está por trás do sucesso destas duas divas do rap brasileiro. Cada uma à sua forma, Mc Soffia e Karol Conka são ícones de representatividade negra e feminina dentro da música, especialmente dentro do funk e do hip hop, gêneros musicais majoritariamente masculinos.

Mas como é que elas chegaram até ali e o que a presença destas mulheres significa para a música brasileira e para a própria cultura nacional? É isso que discute o documentário "As Minas do Rap", de 2015, produção que entrevista mulheres ligadas ao hip hop, abordando o histórico feminino dentro do movimento e dando voz a artistas como as próprias Karol Conka e Mc Soffia, além de Negra Li, Mc Gra, Sharylaine, Dj Vivian Marques.

Dirigido, roteirizado e produzido por Juliana Vicente, da Preta Portê Filmes, o curta-metragem "As Minas do Rap" tem direção de produção de Carla Comino e direção de fotografia de Lucas Rached. 

Confira o curta-metragem completo!

OSSA - Curta em stopmotion onde o mundo todo é um palco

OSSA é um curta do artista italiano Dario Imbrogno, da Whitstand Film. Dançando sobre a linha da desconstrução e criação, essa animação é um ótimo exemplo das capacidades metafóricas do stopmotion como ferramenta expressiva.

OSSA explora a metamorfose da forma humana na figura da manequim bailarina, desestruturada no tempo e espaço, mostrando os mecanismos que a movem e fazem seu mundo mover-se.

Fantasmagorias | Curtas de terror da HBO estão disponíveis no youtube

Você lembra do chupa-cabra? Se passou pelos anos 90 deve se lembrar das várias matérias e reportagens na TV sobre o monstro que aterrorizava as cidades do interior do Brasil. Já está com medo? Então se prepare, porque o bichão está de volta, mas dessa vez página oficial da HBO no youtube

Se você é fã de contos de terror, a dica é a série de curta-metragens “Fantasmagorias”, a qual relata aterrorizantes lendas urbanas da América Latina, incluindo a história do famoso sugador de sangue de cabritos.

 

Os mini-filmes da coleção Fantasmagorias são criados pela produtora argentina Studio Freak, e são feitos digitalmente, apresentando uma incrível animação e síntese no roteiro das histórias. Todos possuem menos de três minutos, tempo o suficiente para fazer você não querer dormir com a luz apagada à noite. 

 “O Conto do Chupa-Cabra”, que se passa no nordeste brasileiro, “O Jantar Maldito”, que relata o terrível aniversário de casamento de um casal de Buenos Aires e “Roubo de Orgãos”, o destino nada feliz de um empresário no Rio de Janeiro, já estão disponíveis no youtube. 

Outros capítulos relatando casos em outros países, como “A Chorona”, no México, e “Assovio”, na Venezuela e Colômbia, que já passaram na HBO, devem estar disponíveis online em breve. Mais trabalhos da Studio Freak podem ser encontrados no portfólia da produtora.  

Veja uma prévia de "Piper", curta que chega junto com "Procurando Dory" [vídeo]

A Disney Brasil liberou nesta semana um pequeno vídeo recheado de fofura, intitulado apenas como “Piper”.

Na verdade, o clipe em questão é uma prévia do curta-metragem “Piper”, que tem seis minutos de duração e chega em breve aos cinemas.

Como você deve imaginar, seguindo o costume da produtora, o curta estreia nos cinemas de todo o mundo junto com o tão aguardado “Procurando Dory”.

Dirigido por Alan Barillaro e produzido por Marc Sondheimer, “Piper”, o mais recente curta da Pixar Animation Studios, conta a história de um filhotinho de maçarico esfomeado que se aventura a sair de seu ninho pela primeira vez para procurar comida no litoral. O único problema é que a comida está enterrada na areia, onde ondas assustadoras vem dar na praia.

Quem é o gênio por trás de Piper?

Alan Barillaro entrou para a Pixar Animation Studios em janeiro de 1997. Barillaro trabalhou em quase todos os filmes da Pixar como animador, incluindo “Vida de Inseto”, “Toy Story 2”, “Monstros S.A.” e os filmes vencedores do Oscar® “Procurando Nemo”, “Os Incríveis”, “WALL•E” e “Valente”.

Nesses três últimos filmes, Barillaro recebeu a função de supervisor de animação e, portanto era responsável por supervisionar a equipe de animadores que trabalhou para dar vida aos personagens dos filmes.

Após seu trabalho em “Valente”, Barillaro passou a trabalhar na equipe de desenvolvimento de software da Pixar para ajudar a criar uma ferramenta de animação que ajudaria a fornecer mais flexibilidade criativa ao processo de filmagem do estúdio.

curtapiper 9373c

Como prova de conceito, Barillaro criou um teste curto de animação sobre um passarinho – um maçarico – na praia. Esse teste de animação logo se tornou um curta-metragem completo, “Piper”, dirigido por Barillaro e que fará sua estreia nos cinemas junto com “Procurando Dory” em 2016.

Criado em Niagara Falls, Canadá, o interesse de Barillaro pela animação surgiu quando ainda era jovem. Ele foi fazendo carreira gradativamente em várias empresas durante o ensino médio e continuou seus estudos no Sheridan College for Animation. Barillaro reside em Oakland, Califórnia, com sua família.

Bear Story | Trailer oficial e sinopse

Um urso idoso e solitário conta sua história de vida por meio de um diorama mecânico. O curta-metragem chileno "Bear Story" (Historia de un Oso) é dirigido e roteirizado por Gabriel Osorio Vargas, sendo que Daniel Castro ajudou na composição do roteiro.

Com aproximadamente 11 minutos de duração,  o curta narrado em espanhol foi o vencedor do Oscar de Melhor Animação em Curta-Metragem (no ano de 2016). O trailer já mostra um pouco do porquê esta obra conseguiu a estatueta, sendo que o estilo de animação foi um dos principais diferenciais.

Ainda não há previsão de lançamento de Bear Story para o público.