log in
 

Crítica do filme Cegonhas

Uma cegonha só não faz sermão...

por
Fábio Jordão

27 de Setembro de 2016
Fonte da imagem: Divulgação/Warner Bros. Pictures
amazonprimevideo
Mudar tema Padrão Noturno
Barra lateral X Desativar
Mudar fonte A+ A A-

Depois de fazer vários desenhos da turma da DC Comics e dos personagens LEGO (incluindo variações de histórias da DC), a Warner Animation Group resolveu diversificar seu portfólio.

“Cegonhas – A História Que Não Te Contaram” é uma animação que nos leva a conhecer as estruturas de operações dos famosos animais que nos trouxeram ao mundo.

Sim, é mais ou menos aquela velha história de que os pais encomendam os bebês para a cegonha. Acontece que, já faz algum tempo, essas aves pararam de trabalhar neste ramo. Atualmente, elas fazem entregas para o site LojadaEsquina.com.

Nesta empresa, acompanhamos a jornada de Junior, a cegonha mais top nas entregas, que está prestes a ser promovido quando acidentalmente ativa a Máquina de Fazer Bebês, produzindo uma bebezinha adorável e totalmente não autorizada.

Para evitar a demissão, ele precisa entregar a encomenda. Entretanto, o que era para ser uma tarefa tranquila, fica difícil quando Junior machuca sua asa. Sorte dele — ou não — é que sua amiga Tulipa, a única humana na Montanha da Cegonha, resolveu embarcar com ele numa viagem animal. Aí é confusão pelo mundo na tentativa de resolver o problema...

Já para adiantar, dá para dizer que, em um mercado em que temos animações brilhantes, filmes como “Cegonhas” não convencem o público. Ainda que siga a cartilha — com piadinhas, músicas animadas e uma história legal —, a falta de comunicação com um público maior e até a ausência de lições não ajudam o título a sair do chão. Agora, vamos falar mais do filme...

Mais vale um pássaro amigão...

A história de “Cegonhas – A História Que Não Te Contaram” é bem simples. Ela tem começo, meio e fim. Os clichês estão aqui, as piadinhas são bem repetitivas, mas tem muita coisa legal para aproveitar no filme.

O principal acerto neste bando de pássaros são os protagonistas, principalmente o Junior, o pombo Toady e a humana Tulipa. Esses três roubam boa parte das cenas, com piadas bem encaixadas. Eles dificilmente interagem juntos, mas cada um tem uma personalidade que acaba entregando algo de único para o desenvolvimento da trama.

cegonhas0 022fe

O estilo de animação segue uma tendência que já vimos, com colorido reforçado, personagens humanizados, cenários propícios para muita confusão (como o próprio centro de entregas) e uma coerência entre todos esses elementos. O resultado final mostra a competência do estúdio, que demonstra qualidade similar ao de concorrentes como Pixar.

Na incrível aventura para entregar o bebê, Junior e Tulipa também encontram muitas adversidades que, obviamente, são o prato perfeito para criar confusões e encaixar as piadas. Muito legal ver as ideias que a Warner teve para encaixar, mesmo que de forma exagerada, a alcateia de lobos, que certamente garantem boa parte das risadas.

Do que uma passarada sem noção

A tradução do nome do filme no Brasil pode ser bastante enganosa. Tudo bem que "Cegonhas" conta realmente uma história que, se levado em conta os mínimos detalhes, não tinham nos contado ainda. Acontece que este filme da Warner pega uma corrente de ar em uma direção bem diferente daquela que imaginamos ao ver o trailer.

cegonhas1 ccf12

O filme tem um probleminha de identificação com o público. A gente tem, hoje, muitas animações (como as da Pixar) que conseguem falar com todos e até fazer adultos chorarem. O roteiro de “Cegonhas” dialoga bastante com crianças que ainda imaginam - por serem enganadas dessa forma - as cegonhas entregando bebês.

Nenhum problema nessa premissa, mas a falta de evolução dos temas para que outros públicos (incluindo crianças maiores) possam enxergar mais conteúdo interessante acaba sendo algo que pesa bastante na execução deste voo experimental da Warner.

As “Cegonhas” entregam uma mensagem, mas é um recado para poucas crianças...

Enfim, a falta de lições direcionadas ao público-alvo é talvez o que mais incomode. O filme até tenta conversar com pais, mas tudo passa voando pela tela e nem chega a convencer. “Cegonhas – A História Que Não Te Contaram” é um tanto óbvio, reforça ideias sobre famílias diferentes, tenta falar sobre diversidade, mas uma cegonha sozinha não faz diversão.

Se você adora animações, veja “Cegonhas” no cinema, mas não espere nada além de um filme divertidinho com músicas legais.

Fonte das imagens: Divulgação/Warner Bros. Pictures

Cegonhas - A História Que Não Te Contaram

Cegonhas entregam bebês ou pelo menos elas deveriam...

Diretor: Nicholas Stoller, Doug Sweetland
Estreia: 22 / Set / 2016

Curtiu esse texto? Então deixe seu comentário e aproveita para compartilhar nas redes sociais!

Comentários

Este é um espaço para discussão. Você pode concordar, discordar ou agregar informações ao conteúdo, mas lembramos que aqui devem prevalecer o respeito e bom senso. O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Nos reservamos o direito de apagar comentários que não estejam em conformidade com nossos Termos de Uso.