log in
 

Crítica do filme Homem-Formiga

Um novo herói para roubar a cena

Edelson Werlish

por
Edelson Werlish

Segunda, 20 Julho 2015
Fonte da imagem: Divulgação/
Mudar tema Padrão Noturno
Barra lateral X Desativar
Mudar fonte A+ A A-

O Homem-Formiga é um herói pequeno, porém seu filme é grande. Muito grande! E esse é o máximo de analogia clichê que eu farei nesta crítica (prometo). 

Porém, gostaria de continuar com uma outra relação. Há um pouco mais de um ano, eu redigi a resenha do Capitão América 2, a qual você pode ler clicando aqui. Naquele texto eu ratifiquei que o filme era, junto com Vingadores até então, a melhor criação do Marvel Studios. Para explicar tal afirmação coloquei como ponto alto do longa a habilidade dos criadores de fugir um pouco do gênero super-heróico e focar em uma temática diferente: a de espionagem. E é justamente nesse ponto que quero chegar para falar do Homem-Formiga, uma história simples e divertida que usa o tema de “roubo”, estilo 12 Homens e Um Segredo, para apresentar o mais novo integrante da equipe de heróis da Marvel nos cinemas.

Who da hell is Homem-Formiga?

Talvez o mais desconhecido dos super-heróis do cinema até agora para os leigos em quadrinhos, o Homem-Formiga é nas HQs um dos integrantes originais d’Os Vingadores. O personagem tem, por meio de um traje tecnológico, o poder de encolher ao tamanho de uma formiga (vide o seu nome), e mais do que isso, a habilidade de conversar com esses insetos, utilizando os ajudantes para as mais diversas tarefas, como voar, distrair inimigos e se infiltrar em lugares secretos – todas essas premissas utilizadas muito bem na adaptação. O primeiro a utilizar essa alcunha, e inventor da tecnologia, é o cientista e Hank Pym, vivido no filme pelo grande Michael Douglas. Já o segundo mais conhecido e astro principal do longa é o ladrão Scott Lang, interpretado pelo ator Paul Rudd (sim, o marido da Phoebe dos Friends!)

A trama do longa pega os dois personagens e os coloca em uma posição de mentor e aprendiz. Hank Pym já em sua terceira idade quer que uma nova pessoa assuma a roupa do formiga, com o objetivo de realizar uma missão: roubar a sua própria tecnologia, de sua própria empresa, a qual está sendo usada para elaborar novos trajes para serem utilizados em guerras. Assim, ele encontra o “gatuno” Scott Lang para completar tal tarefa. E aí, como diz o narrador da sessão da tarde, essa dupla vai aprontar altas confusões. 

Por que Homem-formiga e por que agora?

Brincadeiras à parte, o filme do Homem-formiga vem para fechar a Fase 2 da Marvel nos cinemas. Seus eventos passam logo após Vingadores 2 e a sua história está bem ligada aos acontecimentos dos últimos filmes. É bom você ter vistos os últimos capítulos, e que a essa altura já deve ter percebido que estão todos conectados. Esse é outro ponto positivo desse longa. Ele consegue linkar os últimos ocorridos de forma natural, como as citações da guerra que aconteceu em Sokovia, as relações do velho Hank Pym com a Shield, os novos Vingadores (sim, um deles aparece e tem briga), e muitos outros easter-eggs do tamanho de uma formiga (desculpem, não consegui segurar).

É interessante como essas histórias paralelas se encaixam e enriquecem a história de Homem-Formiga. Ver sua relação com a Shield nos tempos de Guerra Fria abre uma grande vertente a ser exploradas, dando até mesmo a entender que já tivemos um grupo de Avengers nas décadas de 70/80. Esse é todo o cuidado que a Marvel está tendo para criar o seu Universo Cinematográfico, e está dando muito certo!

E o tal roubo?

Como comecei escrevendo, o filme traz a abordagem do “roubo”. Mesmo sendo um roteiro simples, ele explora todo o processo de criar um plano, treinar e executa-lo, mesmo sabendo que tudo aquilo planejado pode ir por água abaixo com uma única simples falha - e é o que você vai encontrar na história. Mas não é só isso, além da trama e suas relações com os demais filmes da Marvel, esse também foca muito na comédia, e é um acerto em cheio! Mesmo pela escalação de Paul Rudd que está muito bem no papel, seus coadjuvantes e parças de crime completam a brincadeira e chegam até a roubar a cena em algumas partes. 

Com todas contra-indicações possíveis, visto que ele é um herói que poucos conheciam e ninguém achava que ia ficar legal em uma adaptação, no final a Marvel mostra que não importa qual personagem vai ganhar uma adaptação nas telonas, ela vai continuar trabalhando para criar grandes filmes sem perder a alegria e o riso. Os efeitos gráficos também surpreendem e, mais do que ver o herói vencendo o seu rival, você quer ver o Homem-Formiga vencendo os desafios de ser pequeno. Assim você não precisa de outro mega filme em que eles explodam Nova Iorque; uma simples cena de um tremzinho de brinquedo caindo em cima do vilão é o bastante.

 ...

P.S.: As DUAS cenas pós-créditos voltam em Homem-formiga para a alegria geral da nação. Então já sabe, quando terminar, fica mais um pouco!

P.S. 2: Presta atenção nas cenas finais porque tem citação de um velho conhecido nosso, amigão da vizinhança e escalador de paredes! Ele tá chegando!!! ;)

 

Fonte das imagens: Divulgação/

Homem-Formiga

Não é o tamanho que faz o herói!

Diretor: Peyton Reed
Duração: 117 min
Estreia: 16 / Jul / 2015

Curtiu esse texto? Então deixe seu comentário e aproveita para compartilhar nas redes sociais!

Edelson Werlish

Andou na prancha, cuidado Godzilla vai te pegar!

Comentários

Este é um espaço para discussão. Você pode concordar, discordar ou agregar informações ao conteúdo, mas lembramos que aqui devem prevalecer o respeito e bom senso. O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Nos reservamos o direito de apagar comentários que não estejam em conformidade com nossos Termos de Uso.