Crítica do filme John Carter: Entre Dois Mundos

E se houvesse vida em Marte?

por
Fábio Jordan

22 de Março de 2012
Fonte da imagem: Divulgação/Walt Disney Studios
Fonte A+ A A-
Tema 🌞 🌚
Tempo 🕐 4 min

☕ Home 💬 Críticas 🎭 Aventura

Quando surgiram as primeiras imagens de John Carter, a primeira impressão que tive era de um projeto que misturava elementos de Star Wars com características de Príncipe da Pérsia. Para minha surpresa, o filme tem traços que remetem a tais longas, mas devo enfatizar que o resultado final do mais recente título da Disney é muito mais do que uma simples cópia.

E se houvesse vida em Marte? E se um humano conseguisse ir até lá? John Carter foi e agora apresenta sua aventura num longa bem produzido e empolgante.

Quando surgiram as primeiras imagens de John Carter, a primeira impressão que tive era de um projeto que misturava elementos de Star Wars com características de Príncipe da Pérsia. Para minha surpresa, o filme tem traços que remetem a tais longas, mas devo enfatizar que o resultado final do mais recente título da Disney é muito mais do que uma simples cópia.

Andrew Stanton é o responsável pela direção e pelo roteiro desta película que traz um enredo convidativo e cenas muito bem desenvolvidas. Não que alguém duvidasse disso, afinal Stanton já tinha comandado duas animações: Procurando Nemo e Wall-E. Vale salientar aqui que ao contrário do que muitos comentam por aí, John Carter não é um filme da Pixar. Devido à censura, a Disney acabou ficando com o comando do projeto.

Marte é o palco principal desta aventura. O planeta é habitado por um povo bárbaro de estatura avantajada. Além disso, criaturas muito semelhantes aos humanos moram no planeta vizinho. John Carter é transportado misteriosamente para o Planeta Vermelho, tornando-se uma peça chave no destino de Marte.

De início, vemos o rapaz como um escravo e uma atração bizarra, pois a gravidade de Marte não é a mesma que a da Terra – daí o mistério dos pulos exagerados que ele executa nos trailers. Depois de um tempo, ele se impõe para salvar uma princesa formosa e, também, para encontrar um destino para si.

Devo ressaltar aqui que Taylor Kitsch (John Carter) atua muito bem em seu primeiro grande projeto. A maior parte do elenco também não faz feio, ainda que alguns personagens sejam bem clichês e travem um pouco a emoção da história.

O Planeta Vermelho é muito bem retratado e vemos a computação gráfica atuando de forma magnífica para reproduzir os extraterrestres. Efeitos especiais também não faltam e eles garantem cenas de ação bem executadas, aeronaves convincentes e paisagens belíssimas.

O roteiro é bem trabalhado, sendo que vemos a história contada após a morte de John Carter e pelo que lembro não vi contradições ou falhas absurdas. Talvez, indecisões do personagem principal afetem um pouco o enredo, mas não que isso deixe o filme cansativo ou confuso. As duas horas e dez minutos de filme são bem aproveitadas e não dão espaço para o tédio.

No quesito sonoro, não há como reclamar, pois música e efeitos de áudio casam muito bem. Em algumas cenas, aliás, a sonoridade faz toda a diferença, pois ela impulsiona de forma coerente batalhas e acontecimentos grandiosos. É o caso da sequência em que John Carter enfrenta sozinho um exército – momentos em que dá até uma emoção a mais e servem para mostrar que o filme tem de tudo para ser um sucesso.

"John Carter: Entre Dois Mundos" é uma obra de qualidade da Disney. Não digo que este é o filme mais sensacional do ano, mas definitivamente é um longa-metragem que merece ser apreciado em tela grande. Claro, não estou falando de um título revolucionário, mas apenas de um filme bem executado que diverte e agrada ao explorar algo novo - ainda que alguns sugiram que a história é parecida com Pocahontas.

Só por curiosidade, vale salientar que essa viagem a Marte foi como um tiro no pé da Disney. John Carter conseguiu alcançar o maior prejuízo (200 milhões de dólares) que Hollywood já viu. O problema não é a qualidade, mas possivelmente o excesso de investimento e o desinteresse do público. Infelizmente, é provável que o filme não tenha continuação.

Fonte das imagens: Divulgação/Walt Disney Studios

John Carter: Entre Dois Mundos

Perdido no nosso mundo, encontrado em outro

Diretor: Andrew Stanton
Duração: 132 min
Estreia: 9 / Mar / 2012