log in
 

Crítica do filme O Protetor 2

O pau vai comer solto!

Fábio Jordão

por
Fábio Jordão

Quarta, 29 Agosto 2018
Fonte da imagem: Divulgação/Sony Pictures
Mudar tema Padrão Noturno
Barra lateral X Desativar
Mudar fonte A+ A A-

Os filmes já nos ensinaram que não devemos mexer com a filha dos outros, com a esposa de pessoas de bem e, muito menos, com o cachorro de sujeitos que tão vivendo a vida numa boa.

Só que as regras mudaram muito em 2014, quando Robert McCall (Denzel Washington) entrou em cena para dar um recado mais amplo: não mexa com a boa vizinhança e os amigos dele.

Em “O Protetor”, nosso amigo mostrou que ele faz de tudo para ser um bom samaritano, mas para quem não pegou o recado, agora McCall volta às telonas em “O Protetor 2” para mostrar que a chinela vai arder forte no lombo, principalmente depois que vacilam forte com a melhor amiga do cara.

Munido de muita boa vontade, ele continua sua jornada do bem em territórios internacionais e distribui bala por onde passa. E se você acha que aqui é só frase de efeito, você acertou na mosca, mas também não é para menos, porque o cara está ainda mais manjador. Pra quem curtiu o primeiro filme, minha dica é: embarca nesse Lyft que o rolê tá ainda mais loko!

Hey, quer uma carona para o inferno?

No trailer, já deu pra flagrar que o McCall agora tá numa vibe de Uber — e se não tá fácil pro Denzel, imagina pra nós, meros mortais né? Aí que o cara agora é tipo o taxista do Gugu, fica ali de boa no volante, só fingindo que não é com ele e aí faz as pegadinhas e desce o sarrafo nos malandros (acho que no SBT não era bem assim, mas tudo bem).

Só que meus amigos, aí é que está a graça da coisa. Se o primeiro filme a gente já tinha boas motivações, como a camaradagem do protagonista e seu senso de justiça apurado, agora a gente tem isso e ainda mais cenas de emoção sobre quatro rodas. A parte ruim desse passeio é que o filme, às vezes, fica dando voltas desnecessárias, mas quem nunca, né?

oprotetor21 70c8d

Felizmente, não demora muito pro roteiro engatar a marcha e tacar o pau na história principal. Uma coisa muito legal em “O Protetor 2” é que além do arroz com feijão, a gente tem a chance de degustar novos sabores de adrenalina. O script começa de forma ousada, tem alguns altos e baixos, mas, aos poucos, vai dando substância para McCall e aí a gente gosta ainda mais do sujeito.

E aí que, vez ou outra, em meio a cenas como aquela do cartão de crédito (no trailer), a gente ainda ganha mais boas cenas de leitura, conselhos de vida e diálogos cheios de pompa pra garantir ainda mais emoção. É o verdadeiro combo de ação que a gente gosta e sem precisar apelar pra piadas sem graça ou caras que são pura bomba.

Pensa num cara pistola...

Se existe a definição atualizada de “pistola” nos dicionários, muito provavelmente ela deve ter menções à Liam Neeson, Keanu Reeves e Denzel Washington. Também, tem situações da vida que tiram a gente do sério. Quer coisa pior do que vir uns arruaceiros e pichar tua vizinhança? Coisas assim só deixam a gente mais tristes com o mundo e aí, não tem jeito, o negócio é deixar a cinta fazer a música do Beto Carrero na costa dos sem vergonha.

Então, se por um lado a gente tem aqui uma continuação mais sólida sobre o personagem, por outro a gente tem esse personagem ficando mais puto em dose dupla, o que significa mais cenas de ação. Algumas são tão icônicas quanto as do primeiro longa-metragem e outras são ainda melhores. A produção não poupa esforços e, sem rodeios, já mostra com quantos murros se dá uma surra.

Não, não existe um roteiro genial por trás de “O Protetor 2”, mas o roteirista Richard Wenk (o mesmo do filme anterior) faz um trabalho legal e até consegue surpreender em vários casos. O melhor é claro que é a cereja do bolo, mas não tem parte desse bolo de ação que vai deixar você insatisfeito.

oprotetor22 32170

Acredito eu que parte do sucesso neste filme foi justamente a equipe que se manteve praticamente intacta. O diretor Antoine Fuqua retorna na parceria com Washington, garantindo um pagode de qualidade e cheio de ritmo envolvente. As cenas de ação são muito bem coreografas e só nisso o filme já tem um trunfo. Agora, quando a gente tem aquele gatilho da câmera lenta e do McCall cronometrando a pancadaria, meus amigos, é só vitória!

Aliás, eu acho muito legal ter um novo herói nas telonas, um herói do dia a dia, que faz as boas ações e resgata a fé na humanidade. Ninguém melhor que Denzel Washington pra isso, que nos surpreendeu mais uma vez aqui, com ótima atuação. Ele é muito centrado nos diálogos, mas as técnicas de combate são de uma simplicidade tão ímpar, que dá gosto ver ele arregaçando as mangas e tomando cuidado pra manter o figurino intacto.

No fim das contas, a questão que fica é: você já assistiu à Jornada nas Estrelas? Se sim, e se você quer uma vida longa e próspera, é bom avaliar o filme com cinco estrelas. Só confia e pega seu ingresso que “O Protetor 2” é um baita filme de ação. Recomendado pros fãs do gênero!

Fonte das imagens: Divulgação/Sony Pictures

O Protetor 2

Não há igual

Diretor: Antoine Fuqua

Duração: 120 min

Estreia: 16 / Ago / 2018

Curtiu esse texto? Então deixe seu comentário e aproveita para compartilhar nas redes sociais!

Comentários

Este é um espaço para discussão. Você pode concordar, discordar ou agregar informações ao conteúdo, mas lembramos que aqui devem prevalecer o respeito e bom senso. O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Nos reservamos o direito de apagar comentários que não estejam em conformidade com nossos Termos de Uso.