Crítica do filme Oferenda ao Demônio

Terror ousado, mas um pouco pausado

por
Fábio Jordan

08 de Fevereiro de 2023
Fonte da imagem: Divulgação/Paris Filmes
Fonte A+ A A-
Tema 🌞 🌚
Tempo 🕐 6 min

☕ Home 💬 Críticas 🎭 Terror

Não é de hoje que o gênero de terror sobrenatural está permeado de roteiros clichês. Quando o assunto é mais voltado aos casos religiosos, a coisa fica ainda mais sem criatividade, sempre focando em possessões, variando apenas os demônios e as respectivas soluções — que, em geral, são sessões de exorcismos com algumas modificações. É sempre mais do mesmo.

Ainda que muitas obras tragam contextos diferentes, tudo gira em torno do cristianismo, mais precisamente do catolicismo. Isto vem desde antes de “O Exorcista”, mas, de lá para cá, estas abordagens ganharam popularidade devido ao público massivo, que tanto conhece a religião no mundo real quanto em suas adaptações na telona.

Assim, quando vemos o trailer de um filme como “Oferenda ao Demônio”, a primeira coisa que desperta é a curiosidade, pois temos aqui um raro exemplar de longa-metragem focado no judaísmo. Não que isso torne a trama extremamente diferente, mas ao menos temos novos ares com rituais que fogem do "Pai Nosso que estais no céu..." tradicional.

oferendaaodemonio03 506a3Fonte: Divulgação/Millennium Media

Na trama, acompanhamos Arthur (Nick Blood) e Claire (Emily Wiseman) durante os meses finais de gravidez, época em que eles decidem visitar o pai de Arthur, Saul (Allan Corduner), para fazer as pazes antes de a criança nascer. Contudo, não se trata de uma simples visita, já que Saul é dono de uma funerária e o ambiente nem sempre é o mais receptivo.

Nestas circunstâncias, Arthur retoma seu posto de ajudante na funerária por alguns dias, mas ele acaba tendo um incidente com um dos cadáveres, o que pode ser a razão para o começo de uma série de problemas. Logo, o casal vai descobrir que um mal antigo habita o perímetro e que um demônio ancião fará de tudo para destruí-los.

Oferenda ao Demônio vale a pena?

Oferenda ao Demônio” apresenta algum nível de ineditismo na abordagem religiosa, de modo que entretém pelo fator novidade com bons momentos de terror. A trama é lenta em alguns momentos e, de vez em quando, se apoia em clichês. Apesar disso, vale o ingresso, principalmente pela ousadia no roteiro.

Produção competente num terror diferente

Quando eu penso na construção de um filme, eu gosto de pensar nas diferentes etapas que compõe o resultado final, já que produção e trama nem sempre estão de mãos dadas. É bem comum um filme ter história inventiva, mas com uma execução bem aquém do esperado — e o contrário também é recorrente no gênero de terror.

No caso de “Oferenda ao Demônio”, temos uma produção bem redondinha. Primeiro, vemos o capricho na fotografia e nos cenários, o que inclui resulta em uma ambientação propícia para os sustos. Parte disso se deve à trama, afinal uma funerária é um local que tem uma conexão bem evidente com o mundo dos mortos.

oferendaaodemonio02 bf850Fonte: Divulgação/Millennium Media

Além disso, vemos um esmero em questões técnicas, como é o caso dos figurinos coerentes, bem como dos efeitos visuais, fundamentais para as tantas cenas com objetos voando, pessoas possuídas e, claro, principalmente para a composição dos personagens assustadores, que sem dúvida alguma recebem atenção especial pelo ineditismo.

Ainda em questão de produção, temos uma trilha sonora bem pontual, nada de sons muitos clichês (como instrumentos de cordas com sons distorcidos que são tão recorrentes em obras do gênero), porém há o uso de composições mais controladas, mas que mantém o tom de suspense por tempos prolongados.

Falta ritmo, mas há ousadia

Como eu já disse, a história de “Oferenda ao Demônio” tem sua pitada de novidade, principalmente por trazer rituais do judaísmo e um inimigo incomum. O filme começa muito bem, com contextualização e cenas que já induzem ao que podemos esperar para o meio da trama, porém, após o pontapé inicial, o ritmo do filme cai consideravelmente.

O que temos em boa parte do roteiro são eventuais cenas de terror, em meio a um drama amplo sobre questões familiares. O filme demora a engatar no confronto com as entidades malignas, o que acaba recaindo num peso desproporcional sobre o elenco, que não tem muito o que fazer, se não desenvolver diálogos fracos e que dificilmente mantêm nossa atenção.

oferendaaodemonio01 057ccFonte: Divulgação/Millennium Media

Boa parte do problema na história se deve também aos protagonistas, que, como de praxe, são pouco inteligentes e suscetíveis ao vacilo. Felizmente, a obra não tenta compensar o ritmo truncado com tantas cenas repetitivas e evita o uso excessivo de jump scare, o que já garante bons pontos para um filme mais honesto.

No fim das contas, “Oferenda ao Demônio” é um projeto com boas ideias, mas que acaba como um filme mediano por conta dos pontos supracitados. Felizmente, os fins justificam os meios, de modo que o encerramento vale a pena. Não que seja uma conclusão de tirar os cabelos, porém o ápice foge do óbvio e salva o que poderia ser um enorme clichê.

Fonte das imagens: Divulgação/Paris Filmes

Oferenda Ao Demônio

Nenhuma alma está a salvo

Diretor: Oliver Park
Duração: 93 min
Estreia: 9 / Fev / 2023