log in
 

Crítica Ponte dos Espiões

Manter-se em pé frente aos seus princípios

por
Monica Chu

05 de Novembro de 2015
Fonte da imagem: Divulgação/
Mudar tema Padrão Noturno
Barra lateral X Desativar
Mudar fonte A+ A A-

Primeiramente, gostaria de dizer que estou um pouco decepcionada com a divulgação de Ponte dos Espiões. Por que? Porque tem poucas salas e se tem salas, a maioria no VIP, o que também desanima pelo preço.

Quando distribui alguns ingressos, sempre era o último a ser escolhido, e aí fiquei pensando nos motivos plausíveis pra isso. Seria pela temática? Dramático demais? Desconhecimento em geral? Assisti e assisti muito satisfeita.

Terminando a sessão, meu primo se vira e diz: "Olha, é do Spielberg!". Fico indignada, prestes a soltar uns resmungos. Meus caros, não é só do Spielberg, mas como também é escrito pelos irmãos Coen!

Não conhece eles? Títulos como: Fargo, O Grande Lebowski, Onde os Fracos Não Têm Vez são exemplos do que já foi produzido por eles.

E novamente, escrevo sobre um filme baseado numa história real. O que deixa tudo sempre mais comovente.

EUA vs URSS

Durante a Guerra Fria, a corrida armamentista entre as superpotências fez com que novas forças surgissem nos serviços de espionagem, e passou-se a investir pesado na coleta de informações de novas tecnologias em que o adversário pudesse ter desenvolvido.

Tá, então é um filme de guerra? Sim e não. Sim, porque se passa no contexto de guerra e não, pois a história não é só focada nisso, e quase inexiste qualquer cena de ação explosiva (sorry para quem gosta de espionagem-ação, mas não fica triste, o Spectre tá aí!).


01 21135
 

Inimigos Amigos

Rudolf Abel (Mark Rylance) é preso pelo governo americano por espionagem. Na corte, o advogado James B. Donovan (Tom Hanks) é recrutado para defendê-lo. Uma vez que nenhum advogado teria aceito o trabalho, Donovan segue convicto em sua defesa.

A interação entre esses dois personagens é intensa. Me surpreendi com a atuação de ambos, e ainda fiquei impressionada com o apoio que o advogado (honesto) dá ao russo, o que poderia ter sido considerado crime contra o país. Os diálogos são excelentes, possuem um pouco de tudo: humor e dramaticidade, principalmente.

03 1beec
 

Não precisa ser cinzento

A fotografia é diferente das que estamos acostumados com as histórias de guerra. São cores mais saturadas, alaranjadas e azuladas. Algumas cenas de muita luminosidade (que foi a única coisa que me desagradou, frescuragem minha) e sem contar as câmeras! Imagine a seguinte cena, um diálogo longo em um carro, o "normal" seria manter a câmera fixa nos personagens enquanto a fala acontece, certo?

Pois é, não é bem como acontece nesse filme. São várias cenas com dinamismo de quadros.  Closes, e mais closes. Não me recordo de outros filmes do Spielberg serem enquadrados tão perto de objetos e pessoas, e isso te dá uma sensação muito detalhada das coisas.


02 e2bd7
 

Não contarei o desenrolar dessa história. Contarei com você indo ao cinema mais próximo para assistir a essa belezura. Meu desejo é que concorra ao Oscar do fundo do meu coração. Ainda é cedo pra dizer se o quero como vencedor, mas definitivamente o quero como um dos favoritos do ano.

Fonte das imagens: Divulgação/

Ponte dos Espiões

Uma ponte longa demais

Diretor: Steven Spielberg
Duração: 141 min
Estreia: 22 / Out / 2015

Curtiu esse texto? Então deixe seu comentário e aproveita para compartilhar nas redes sociais!

Monica Chu

Quem é esse pokémon?

Comentários

Este é um espaço para discussão. Você pode concordar, discordar ou agregar informações ao conteúdo, mas lembramos que aqui devem prevalecer o respeito e bom senso. O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Nos reservamos o direito de apagar comentários que não estejam em conformidade com nossos Termos de Uso.