log in
 

Crítica do filme A Noite da Virada

A festa mais louca do ano!

André Luiz Cavanha

por
André Luiz Cavanha

Terça, 16 Dezembro 2014
Fonte da imagem: Divulgação/
Mudar tema Padrão Noturno
Barra lateral X Desativar
Mudar fonte A+ A A-

Por mais que eu tente recordar qual foi o lugar mais bizarro onde passei o réveillon ou quantas situações absurdas já me aconteceram durante a virada, nenhuma delas supera o verdadeiro caos protagonizado por Ana (Julia Rabello) e Duda (Paulo Tiefenthaler). 

Está certo que nessa vida tem tudo quanto é maluquice e a ficção frequentemente aborda o descontrole, expondo histórias em que a situação se torna um buraco quase sem fundo. Mas o nível de surrealismo tem alguns limites que “A Noite da Virada” consegue ultrapassar e seria uma boa sugestão brasileira para a lista de descontroles que o Douglas listou aqui no Café.

Em pleno dia 31, Duda desabafa para a esposa: passará os primeiros dias de janeiro em Canoa Quebrada (praia maravilhosa, localizada no estado do Ceará) e só voltará para pegar seus pertences. Sendo ele um músico quarentão que nunca fez o menor sucesso com sua banda de rock e tão grosseiro no modo de agir, até que Ana superaria facilmente o término do relacionamento. 

eles tudo

O problema é que ela convidou mais de cem pessoas para festejar a entrada de 2015 no apartamento e precisará preservar o alto astral da festa sem se abater com a notícia da separação.

A lista de convidados é enorme! 

Alê (Luana Martau) e o namorado (João Vicente de Castro), que fazem o casal de ninfomaníacos. Mais do que pular ondinhas, os dois “adaptam a mandinga” de modo oportuno aos supersticiosos que passarão a virada longe do litoral: transar sete vezes seguidas! Ué, por que não?!

O casal de vizinhos ricos Rosa (Luana Piovani) e Mario (Marcos Palmeira) também são convidados. Embora sejam donos da maior piscina do bairro, eles se divertem pouco e o marido engomadinho acentua o tédio de uma rotina sem graça, dando legitimidade para a infidelidade de sua esposa. Aliás, a questão conjugal é o tema principal da trama, com esteriótipos típicos de casais que todos nós conhecemos.

Para turbinar a festa, Paulão (Taumaturgo Ferreira) marca presença vendendo suas drogas e cobrando alguns devedores. O traficante tem seu charme e atrai os olhares de Sofia, a irmã da anfitriã interpretada pela atriz Martha Nowill.

Personagens secundários, atuações de primeira!

O personagem secundário mais engraçado do filme é um traficante (Rodrigo Sant’anna) que fica preso por horas dentro de um banheiro químico suportando a claustrofobia. Só um milagre pode salvar o pobre ateu!

Há também uma dupla de maconheiros que fazem lembrar o clássico “Cheech and Chong” (Juliano Enrico e Daniel Furlan), numa atuação que demonstra pleno domínio dos efeitos causados pela Cannabis sativa. É nessa hora que você flagra quem são os maconheiros da sala de cinema, pois só quem entende a bad trip começa a rir antes de um dos patetas se aprofundar na ansiedade conspiracionista.

maconheiros

 

Banheiros, banheiros everywhere!

Com esse elenco gigantesco (até o Alexandre Frota faz participação especial!), em algum item o diretor Fabio Mendonça precisou economizar. Ajuda o fato do enredo ser baseado na peça "O banheiro” de Pedro Vicente, trazendo o lugar mais privado da casa para o cenário da maioria das cenas. É necessária uma boa história e jogo de câmeras para que as cenas aconteçam em espaços reduzidos.

Ademais, o filme consegue divertir, mas fica a impressão de que também as piadas foram economizadas. O que não vale como ponto negativo, pois talvez com a presença de atores do canal Porta dos Fundos a minha expectativa tenha sido outra. São humores diferentes, de ritmos diferentes para elaboração das situações cômicas.

Ruim mesmo é a trilha sonora, mas confesso que aí é implicância minha com o MC Guimê...

Fonte das imagens: Divulgação/

Curtiu esse texto? Então deixe seu comentário e aproveita para compartilhar nas redes sociais!

André Luiz Cavanha

Todo coração é uma célula revolucionária.

Comentários

Este é um espaço para discussão. Você pode concordar, discordar ou agregar informações ao conteúdo, mas lembramos que aqui devem prevalecer o respeito e bom senso. O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Nos reservamos o direito de apagar comentários que não estejam em conformidade com nossos Termos de Uso.