log in
 

Crítica do filme Amizade Desfeita

Afinal, que gênero era pra ser isso?

por
André Luiz Cavanha

18 de Novembro de 2015
Fonte da imagem: Divulgação/

Quem vive a maior parte do tempo conectado é capaz de imediatamente se identificar com o ambiente virtual dos aplicativos e redes sociais utilizado como palco para a história de Amizade Desfeita.

O filme que chegou ao Brasil com um ano de atraso possui um trailer espantoso, que resume bem o enredo e causa angústia em cenas como a de um personagem possuído por uma força do mal que o obriga a triturar a própria mão no liquidificador.

A partir do computador de Blaire (Shelley Hennig), o espectador assiste ao diálogo entre seis adolescentes envolvidos com o suicídio de  Laura Barns (Heather Sossaman). Por meio de um perfil desconhecido que invade as conversas do grupo, cada jovem vai sendo obrigado a recordar e pagar pelas coisas ruins que fizeram para a jovem. Trata-se de uma revanche contra todo bullying que Laura sofreu em vida. 

O perfil que se manifesta pelo Skype e Facebook — que é supostamente o espírito de Laura — propõe um jogo aos participantes de uma videoconferência. Bem ao estilo de Jogos Mortais, com sádicas punições que são transmitidas em tempo real sem grandes explicações.

amizadedesfeita1 aa2ac

Não há segredo no desenvolvimento da história: tudo é presumível a partir do trailer e a experiência durante quase uma hora e meia de duração não traz nada de novo para os entusiastas dos filmes de terror e suspense. Portanto, ir para o cinema com a expectativa de ver algo horripilante está fora de cogitação!

E se já não bastasse o esteriótipo já saturado de estudante universitário norte-americano fazendo cagadas e vivenciando a duríssima vida do primeiro mundo, a interpretação dos atores deixa a desejar. Dos gritos desesperados nos momentos de temor ao choro vazio entre desabafos e lamentações, nada se salva. Talvez a performance ruim tenha sido proposital, para que o espectador crie antipatia pelos personagens e torça pela morte de todos os colegas de Laura...

Entretanto, o ponto positivo é a criatividade na exploração dessa estética que transforma a telona em um sistema operacional, com detalhes das atividades que costumamos fazer online. Nem a logo da Universal Pictures se vê livre da ambientação nos segundos que antecedem o começo da trama!

Elementos como a baixa resolução das imagens, velocidade lenta da conexão de internet nas reproduções de vídeos no YouTube ou chamadas do Skype, assim como o amadorismo nas filmagens dão a sensação de que tudo se corresponde bem com a realidade. Garantia de pouco investimento em cenários, figurino e efeitos especiais.

Outro aspecto que salva o filme é o senso de humor do espírito maligno: enquanto todos vão sendo aniquilados, a playlist do iTunes de Blaire é povoada por faixas românticas que dão um tom extremamente irônico na trilha sonora do massacre. Algo que torna bem leve o clima, com tanta situação engraçada a ponto de nos deixar confusos sobre qual gênero afinal o diretor Levian Gabriadze desejou enquadrar a obra.

Fonte das imagens: Divulgação/

Amizade Desfeita

A ameaça de um fantasma chega às redes sociais.

Diretor: Levan Gabriadze
Duração: 83 min
Estreia: 12 / Nov / 2015

Curtiu esse texto? Então deixe seu comentário e aproveita para compartilhar nas redes sociais!

André Luiz Cavanha

Todo coração é uma célula revolucionária.

Comentários

Este é um espaço para discussão. Você pode concordar, discordar ou agregar informações ao conteúdo, mas lembramos que aqui devem prevalecer o respeito e bom senso. O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Nos reservamos o direito de apagar comentários que não estejam em conformidade com nossos Termos de Uso.