log in
 

Crítica do filme Cadê você, Bernadette?

Uma busca incansável

Nicole Lopes

por
Nicole Lopes

Quarta, 06 de Novembro de 2019
Fonte da imagem: Divulgação/Imagem Filmes
ap 728x90 data 5463e
Mudar tema Padrão Noturno
Barra lateral X Desativar
Mudar fonte A+ A A-

Apesar do título ser bastante revelador, “Cadê você, Bernadette?” de Richard Linklater (Escola de Rock) não é sobre procurar alguém, mas de reencontrar. Inspirado no livro homônimo de Maria Semple, o filme conta a história de Bernadette Fox (Cate Blanchett), uma arquiteta bem sucedida no mercado, que em algum momento da sua vida esqueceu a sua essência. 

De forma muito sutil e sensível, Linklater trabalha duas doenças que estão cada vez mais presente na atualidade: a depressão e ansiedade. Calma! Longe de ser uma história dramática, o filme retrata de forma leve, por vezes um pouco ácida, o que é viver refém de você mesmo. 

Estamos acostumados com a personalidade excêntrica e singular que grandes artista contem, com Bernadette não é diferente. Desenvolver soluções criativas para resolver um problema sempre foi o que motivou ela a criar. Ícone feminista na arquitetura dos Estados Unidos ganhou os olhares de acadêmicos e profissionais na área. Nesta trilha ascendente, a protagonista resolve dar mais dois passos para o desconhecido: mudar de cidade e gerar uma família. 

Tomada a decisão, Bernadette cria suas raízes (quase literalmente) em Seattle, uma cidade chuvosa no norte do país. Ao contrário de suas grandes realizações arquitetônicas, a sua casa é a mais omissa na vizinhança, que remete a um lugar abandonado e esquecido pelos seus proprietários.  Essa contradição fortalece o conflito que existe internamente e externamente em lidar com mudança ao mesmo tempo que se adapta às adversidades da profissão e familiar.

Sem convívio social ativo e cada vez mais distante do seu marido Elgie Branch (Billy Crudup), que sempre está no trabalho, a sua única amiga é secretária Majula, uma inteligência artificial. Lembrou de Her né?! Pois é, sem ser algo fantasio como na história do escritor solitário Theodor (Joaquim Phonix), Bernadette usa o seu celular para desabafar.

cadevcbernadette3 e7365

Este sentimento de solidão e não enxergar o sentido da vida veio à tona com o desejo da sua filha Bee (Emma Nelson) de realizar uma viagem em família para Antártica. As fobias de ter que socializar e perceber que precisa se reconectar com suas paixões criativas faz  com que embarque em uma aventura de autodescoberta. E isso, só seria possível se fosse no continente mais inóspito do planeta Terra.  

Ainda que a protagonista do filme é Bernadette Fox, a história é contada pelo ponto de vista da sua filha adolescente e melhor amiga, a única que compreende as suas ações e a necessidade da sua mãe descobrir quem ela é, ou melhor, o que faz ela ser a Bernadette.

cadevcbernadette5 b7977

Diferentemente de uma história triste e com olhar melancólico, Linklater conduz a trama para um lado mais cômico sem deixar de ser aprofundar e de ressaltar amplitude dos problemas psicológicos da protagonista, que ganha destaque com a atuação de Cate Blanchett ao incorporar uma personalidade de uma mãe super amável e desajustada, mas com um vazio em seu peito e dúvidas no olhar. 

Dessa maneira, é visível o esforço do diretor em reforçar a mensagem do conteúdo. Contudo, a sua preocupação em transmitir a história ofusca a sua identidade e assinatura cinematográfica, que ficou tanto em evidência em seu longa Boyhood: Da Infância à Juventude.

Quantas Bernadette você perdeu ao longo do caminho? 

É nessa procura incansável que nós, mulheres, nos identificamos com a personagem. Quantas vezes nos anulamos para dar suporte ao filho ou relacionamento que está ameno? Quantas vezes deixamos de ser prioridades para nós mesmas? É tão fácil não olhar para si mesma, que quando percebemos já estamos cegas a muito tempo. 

Não é um filme de ir em busca de um familiar perdido, mas levar o espectador ao reencontro da personagem Bernadette antes de tudo virar um caos. Uma comédia serena e feminista, mas repleta de sentimentos amarrados com a nossa realidade de ser artista, profissional, esposa, mãe e, principalmente, de ser nós mesma. 

Fonte das imagens: Divulgação/Imagem Filmes

Cadê você, Bernadette?

O segredo dela. A jornada deles. A nossa aventura

Diretor: Richard Linklater

Duração: min

Estreia: 14 / Nov / 2019

Curtiu esse texto? Então deixe seu comentário e aproveita para compartilhar nas redes sociais!

Nicole Lopes

À procura do mundo invertido 

Comentários

Este é um espaço para discussão. Você pode concordar, discordar ou agregar informações ao conteúdo, mas lembramos que aqui devem prevalecer o respeito e bom senso. O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Nos reservamos o direito de apagar comentários que não estejam em conformidade com nossos Termos de Uso.