log in

Crítica do filme Dragon Ball Z: O Renascimento de Freeza

rítica do filme Dragon Ball Z: O Renascimento de Freeza

Douglas Ciriaco

por
Douglas Ciriaco

Quinta, 18 Junho 2015
Fonte da imagem: Divulgação/
Mudar tema Padrão Noturno
Barra lateral X Desativar
Mudar fonte A+ A A-

Se você está procurando uma resposta rápida para a perguntar “eu devo ir ao cinema ver Dragon Ball Z: O Renascimento de Freeza?”, ela é: SIM! Diferente do que aconteceu em “A Batalha dos Deuses”, o último filme em que Goku e sua turma deram as caras, esta nova produção consegue resgatar e condensar várias características que consagraram a série animada.

Em “O Renascimento de Freeza”, os fiéis soldados do exército do Imperador do Mal conseguem reunir as sete esferas do dragão para ressuscitar o seu líder. Ao despertar, Freeza está sedento de vingança e parte rumo à Terra para encontrar e destruir o seu algoz, Goku.

Um apanhado de boas lembranças

E como isso acontece? Boa parte da justificativa para o filme ter ficado bom vem do resgate de várias características marcantes do anime. Uma delas é a aposta em trazer de volta um dos vilões mais amados pelo público, Freeza, sem fazer muito malabarismo para tal.

A outra, vem de, mais uma vez, os autores darem corda para a rivalidade amistosa (ou amizade de rivais) que há entre Goku e Vegetta. Isso, somado às mudanças de vários personagens do núcleo central do desenho que ficam evidente por ali, coroam a nova aventura de Goku.

O filme é longo na medida certa, sem se tornar cansativo, não tenta explicar mais do que o necessário e ainda consegue causar certa ansiedade, deixando tudo em suspenso até o desfecho da trama. A impressão que se tem é a de que você está diante de um longo episódio de Dragon Ball Z, mas sem que isso signifique algo massante.

Dragon Ball Z: O Renascimento de F

A história funciona muito bem, os personagens conseguem exprimir características que os consagraram e ainda é possível notar como o passar do tempo e a tranquilidade após a derrota de Majin Boo acabou “relaxando” muitos dos guerreiros mais poderosos do planeta.

Enfim, momentos descontraídos e um afago na memória: tudo isso caracteriza a experiência de assistir a “Dragon Ball Z: O Renascimento de Freeza”.

Fonte das imagens: Divulgação/

Dragon Ball Z: O Renascimento de Freeza

Confira o trailer deste filme dirigido por Tadayoshi Yamamuro

Diretor: Tadayoshi Yamamuro

Duração: 93 min

Estreia: 18 / Jun / 2015

Curtiu esse texto? Então deixe seu comentário e aproveita para compartilhar nas redes sociais!

Douglas Ciriaco

Cê tá pensando que eu sou lóki, bicho?

Comentários

Este é um espaço para discussão. Você pode concordar, discordar ou agregar informações ao conteúdo, mas lembramos que aqui devem prevalecer o respeito e bom senso. O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Nos reservamos o direito de apagar comentários que não estejam em conformidade com nossos Termos de Uso.