log in
 

Crítica do filme Kingsman: O Círculo Dourado

Divertido como uma piada repetida

Thiago Moura

por
Thiago Moura

Terça, 26 Setembro 2017
Fonte da imagem: Divulgação/20th Century Fox
Mudar tema Padrão Noturno
Barra lateral X Desativar
Mudar fonte A+ A A-

"Kingsman: O Círculo Dourado" é a terceira adaptação de quadrinhos de Mark Millar feita pelo diretor Matthew Vaughn. Imprimindo uma versão bem particular em gêneros já saturados - o de super-heróis no caso de Kickass, e de super-espiões em Kingsman, - Vaughn foca no público adolescente sedento por sangue e fantasias sexuais. Uma boa vantagem é dispor de um enorme orçamento, o que garante um elenco de peso e efeitos especiais de ponta para todas as cenas de ação, como já ficou claro e surpreendeu todos positivamente no primeiro Kingsman.

O problema das sequências de filmes que fizeram muito sucesso é superar o sucesso, ou pelo menos manter tudo interessante e superar as expectativas. Em "Kingsman: O Círculo Dourado", todos os elementos da fórmula de sucesso estão presentes: britânicos xingando o tempo todo, membros decepados em lutas super estilizadas e repletas de absurdos, assim como todo o arsenal de parafernalhas de espiões que os fãs de James Bond adoram.

Por outro lado, as novidades ficam apenas por conta da agência americana Statesman, o contraste entre os estilos é o que faz o filme se diferenciar do anterior, o que talvez não cause o mesmo impacto.

Kingsman2 f7d3c

Após os eventos do primeiro do filme, Eggsy (Taron Egerton) assumiu completamente o título de Galahad, e está saindo da alfaiataria na Saville Row em Londres para encontrar sua esposa, a princesa Tilde (Hanna Alström). Ele é abordado por Charlie (Edward Holcroft), que perdeu a cabeça literalmente na famosa cena de fogos de artifício em “Kingsman: Serviço Secreto”, agora com um novo braço biônico e uma nova chefa.

Esse encontro inicial desencadeia um ataque massivo ao quartel general da Kingsman, e todos os agentes acabam morrendo, exceto Eggsy e Merlin (Mark Strong). A única alternativa encontrada é viajar para os Estados Unidos e pedir ajuda à Statesman, a versão americana da organização de espionagem.

A agência é escondida sob a fachada de uma fábrica de bebidas no Kentucky, e assim que eles chegam são abordados pelo agente Tequila (Channing Tatum), que não faz ideia de quem seja aqueles. Após o estranhamento inicial rotineiro, eles conhecem o agente superior Champagne (Jeff Bridges), a assistente técnica Ginger Ale (Halle Berry) e o agente Whiskey (Pedro Pascal), responsável pelas melhores cenas de ação com seu laço de cowboy.

Kingsman c0dbe

Então somos apresentados a vilã Poppy (Julianne Moore), líder de uma rede de  narcotráfico mundial conhecida como Círculo Dourado. Ela vive isolada no Camboja, onde construiu um parque temático chamado Poopy Land, baseado nos anos 50 e diversos filmes que marcaram sua infância. Ela tem tudo que quer, então sequestrou Elton John para shows particulares, que serve como alívio cômico em diversas situações.

Para assegurar sua segurança e poder, ela possui dois robôs que servem como cães de guarda. O que dá a entender é que não existe mesmo barreiras para o exagero e situações absurdas em Kingsman, são raras as cenas que não sirvam apenas para demonstrar algum apetrecho de espião ou alguma ação desnecessária carregada de efeitos especiais.

Apesar de dominar o mercado de drogas Poppy não é famosa, e isso a deixa extremamente frustrada. Ela decide misturar quimicamente seus “produtos” com uma droga letal que afeta uma enorme parte da população. Bem, tudo isso parece muito legal, só que todos esses personagens acabam ficando em segundo plano, além de claramente ser um esquema parecido demais com o do primeiro filme.

kingsmangoldenc f2985

E infelizmente cenas marcantes como o massacre da igreja não estão presentes. Boa parte do filme (que é bem longo) é focado no retorno de Harry Hart (Colin Firth), o agente que treinou Eggsy e morreu com um tiro na cabeça no primeiro filme. E essa escolha torna tudo um pouco menos interessante, já que a morte de personagens marcantes podem ser revertidas facilmente, não existe o menor senso de perigo para qualquer situação.

A maior vilã acaba sendo a própria expectativa de se encantar como antes. Há uma cena “polêmica” durante o Glastonbury Music Festival, mas sem dúvida as piadas do primeiro filme foram propositalmente mais chocantes que essa cena. Até mesmo os plot twists são tão óbvios que fica difícil de realmente se importar com a situação. Enfim, espero menos, bem menos, e vai ver um filme de super-espiões que não tem medo de exagerar, mas que não aproveita totalmente tudo que poderia ser.

Fonte das imagens: Divulgação/20th Century Fox

Kingsman: O Círculo Dourado

Um serviço muito secreto

Diretor: Matthew Vaughn
Duração: 141 min
Estreia: 28 / Set / 2017

Curtiu esse texto? Então deixe seu comentário e aproveita para compartilhar nas redes sociais!

Thiago Moura

Curto as parada massa.

Comentários

Este é um espaço para discussão. Você pode concordar, discordar ou agregar informações ao conteúdo, mas lembramos que aqui devem prevalecer o respeito e bom senso. O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Nos reservamos o direito de apagar comentários que não estejam em conformidade com nossos Termos de Uso.