log in
 

Dromedário no Asfalto

Uma inesquecível caminhada rumo ao Uruguai

André Luiz Cavanha

por
André Luiz Cavanha

Sexta, 07 Agosto 2015
Fonte da imagem: Divulgação/
amazonprimevideo
Mudar tema Padrão Noturno
Barra lateral X Desativar
Mudar fonte A+ A A-

Na semana passada o filme Dromedário no Asfalto estreou em três capitais (Porto Alegre, São Paulo e Rio de Janeiro) e a distribuidora Lança Filmes promete levá-lo a outras cidades do país. Enquanto aguardamos ansiosamente pela exibição em Curitiba, nós do Café com Filme tivemos o privilégio de saber alguns detalhes dessa produção gaúcha.

O longa mostra a história de Pedro, um protagonista caracterizado por sua grande sensibilidade e interpretado pelo ator Marcos Contreras. Após a perda da mãe, o rapaz decide sair de Porto Alegre e seguir viagem rumo ao Uruguai num deslocamento que poderia ser feito de avião ou de ônibus, mas sua opção de transporte é seguir caminhando de All-Star e  pegando caronas que garantem ótimas surpresas.

O diretor Gilson Vargas ressalta a importância da caminhada quando diz que “cada passo é uma nova conquista” para o personagem e, além da superação física, o modo andarilho de viajar proporciona uma experiência diferente em toda a dinâmica que envolve a construção do filme. As filmagens aconteceram em 16 cidades e foram necessárias seis viagens de idas e vindas entre os dois países ao longo de 20 meses.

dromedario3 ae3a2

Os diálogos são breves e há raros momentos de interação com outros personagens, pois o desafio maior foi trabalhar o silêncio e outras linguagens que vão além da fala. Apenas as reflexões poéticas e existencialistas dos pensamentos de Pedro é que se sobressaem intercaladas com as palavras escritas na última mensagem deixada pela sua mãe.

Horizontes cheios de beleza, as ondas dos mares do sul, a areia molhada pela água do mar, os detalhes dos veículos e os cômodos por onde passa: é valorosa a experiência estética das imagens. São cenários que misturam espaços urbanos, rurais e de intensa relação com a natureza que parecem combinar com os sentimentos sugeridos pela expressão do personagem.

Todos os sons são cuidadosamente trabalhados, assim como as músicas que embalam os acontecimentos. Em especial, a música “É preciso dar um jeito, meu amigo”, do cantor Erasmo Carlos sintetiza perfeitamente o espírito do viajante Pedro e intensifica a nossa vontade de viajar feito ele, em direção às cidades do território vizinho.

O filme segue em cartaz e para saber mais detalhes acesse a página oficial ou a fanpage do Dromedário no Asfalto no Facebook.

 

 

Fonte das imagens: Divulgação/

Dromedário no Asfalto

Uma caminhada pelas cidades do Brasil rumo ao Uruguai.

Diretor: Gilson Vargas
Duração: 84 min
Estreia: 30 / Jul / 2015

Curtiu esse texto? Então deixe seu comentário e aproveita para compartilhar nas redes sociais!

André Luiz Cavanha

Todo coração é uma célula revolucionária.

Comentários

Este é um espaço para discussão. Você pode concordar, discordar ou agregar informações ao conteúdo, mas lembramos que aqui devem prevalecer o respeito e bom senso. O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Nos reservamos o direito de apagar comentários que não estejam em conformidade com nossos Termos de Uso.